IMG_0759Acima: Iluminura Os Coros dos Anjos (como a visão de Hildegarda de Bingen foi tratada em imagem);

OS COROS DOS ANJOS

"Então eu vi, nos lugares secretos, nas alturas do céu, dois exércitos de espíritos celestes que brilhavam com grande esplendor.

Os espíritos de um dos exércitos tinham asas em seus peitos, com formas como formas humanas diante deles, nas quais traços humanos se mostravam como se em água clara.

Os do segundo exército também tinham asas em seus peitos, que mostravam formas como formas humanas, nas quais a imagem do Filho do Homem brilhava como em um espelho. E eu não podia ver nenhuma outra forma, nem nestes nem nos outros. Esses exércitos estavam dispostos em forma de uma coroa ao redor de outros cinco exércitos.

Os espíritos do primeiro destes cinco exércitos pareciam ter formas humanas que brilhavam com grande esplendor dos ombros para baixo.

Já os do segundo brilhavam com tão grande luminosidade que eu não podia olhar para eles.

Os do terceiro tinham a aparência de mármore branco e cabeças como cabeças humanas, sobre as quais ardiam tochas, e, dos ombros para baixo, eles estavam rodeados por uma nuvem cinza-escura.

Os que pertenciam ao quarto tinham formas como formas humanas e pés como pés humanos, e usavam capacetes em suas cabeças, e túnicas de mármore.

E aqueles do quinto nada tinham de humano em sua aparência, e emitiam um brilho vermelho, como a aurora. E eu não vi nenhuma forma neles. Mas estes exércitos estavam também dispostos como uma coroa ao redor de dois outros.

Os do primeiro destes outros exércitos pareciam estar cheios de olhos e de asas, e em cada olho aparecia um espelho, e em cada espelho uma forma humana, e eles levantavam suas asas a uma altura celestial.

E os do segundo ardiam como fogo, e tinham muitas asas, nas quais mostravam como que em um espelho todas as hierarquias da Igreja dispostas em ordem. E não vi nenhuma forma nem nestes nem nos outros.

E todos estes exércitos estavam cantando com vozes maravilhosas todos os tipos de música acerca das maravilhas que Deus opera nas almas bem-aventuradas, e, mediante isso, Deus era magnificamente glorificado.

E ouvi a voz do Céu a dizer-me:

1 Deus formou e ordenou maravilhosamente sua criação

O Altíssimo e inefável Deus, que era antes de todos os tempos e não teve nenhum começo e não deixará de ser quando todos os tempos terminarem, maravilhosamente, por sua vontade, criou cada criatura e, maravilhosamente, por sua vontade, colocou-a no devido lugar. Como? Ele destinou algumas criaturas para ficar na terra, mas outras para habitar as regiões celestiais. Ele também colocou no devido lugar os abençoados anjos, tanto para a salvação humana quanto para a honra de seu nome. Como? Ao destinar alguns para ajudar os humanos em suas necessidades, e outros para manifestar aos povos os julgamentos de seus segredos. Portanto, veem-se nos lugares secretos, nas alturas do céu, dois exércitos de espíritos celestes que brilham com grande esplendor; assim, como é mostrado na altura dos lugares secretos, que o olho corporal não pode penetrar, mas a visão interior pode ver, estes dois exércitos indicam que o corpo humano e a alma deveriam servir a Deus, visto que eles irão ter o esplendor da eterna bem-aventurança com os cidadãos do céu;

2 A respeito da aparência dos anjos e seu significado

Os espíritos de um dos exércitos têm asas em seus peitos, com formas como formas humanas diante deles, nas quais traços humanos se mostram como se em água clara. Estes são os anjos, que difundem os desejos nas profundezas de suas mentes como asas; não que eles tenham asas como pássaros, mas que em seus desejos eles são rápidos em cumprir a vontade de Deus, tal como os pensamentos de uma pessoa aceleram rapidamente; e por sua forma, eles mostram em si mesmos a beleza da razão, mediante a qual Deus perscruta intimamente os atos humanos; de fato, tal como um servo que, ao ouvir as palavras de seu senhor, cumpre-as de acordo com a vontade deste, assim os anjos prestam atenção à vontade de Deus para os humanos e mostram-lhe as ações humanas em si mesmos;

3 A respeito da aparência dos arcanjos e seu significado

Os do segundo exército também têm asas em seus peitos, que mostram formas como formas humanas, nas quais a imagem do Filho do Homem brilha como em um espelho. Estes são os arcanjos, que contemplam a vontade de Deus nos desejos do intelecto deles e mostram em si mesmos a beleza da razão; eles engrandecem a Palavra de Deus Encarnada da forma mais pura, porque, conhecendo os decretos secretos de Deus, frequentemente prefiguraram os mistérios da Encarnação do Filho de Deus. E não se pode ver nenhuma outra forma, nem nestes nem nos outros; de fato, quer nos anjos, quer nos arcanjos, há muitos mistérios secretos que o intelecto humano, sobrecarregado pelo corpo mortal, não pode compreender. Mas estes exércitos estão dispostos em forma de uma coroa ao redor de outros cinco exércitos. Isso mostra que o corpo e a alma humanos devem, em virtude da força deles, refrear os cinco sentidos humanos, purificá-los mediante as cinco chagas de meu Filho, e levá-los à justiça do domínio que vem de dentro.

4 A respeito da aparência das virtudes e seu significado

E assim, os espíritos do primeiro destes cinco exércitos parecem ter formas humanas que brilham com grande esplendor dos ombros para baixo. Estes são as virtudes, que brotam nos corações dos crentes e, em ardente caridade, constroem neles uma torre altaneira, que são suas obras; de modo que, em seu entendimento, eles mostram as ações dos eleitos, e em sua força conduzem-nos a um fim bom, com uma grande glória de bem-aventurança. Como? Os eleitos, cujo entendimento interior é claro, lançam fora toda a perversidade do mal, sendo iluminados por essas virtudes na iluminação de minha vontade, e lutam vigorosamente contra as armadilhas do diabo; e estas virtudes mostram incessantemente a mim, seu Criador, estas lutas contra a multidão do diabo. De fato, as pessoas têm dentro de si mesmas lutas de confissão e de negação. Como? Porque este aqui me confessa, e aquele outro me nega. E nesta luta a questão é: há um Deus ou não? E a resposta vem do Espírito Santo, que habita na pessoa: Deus é, e criou-te, e também te redimiu. Contudo, enquanto essa questão e a resposta estiverem em uma pessoa, o poder de Deus não se ausentará dela, pois essa questão e essa resposta trazem consigo a penitência. Mas quando essa questão não está em uma pessoa, tampouco a resposta é a do Espírito Santo, visto que tal pessoa afasta de si mesma o dom de Deus e, sem a questão que conduz à penitência, lança a si mesma na morte. E as virtudes mostram a Deus as batalhas destas guerras, pois elas são o selo que mostra a Deus a intenção que o adora ou o nega;

5 A respeito da aparência dos poderes e seu significado

Já os do segundo exército brilham com tão grande luminosidade que não se pode olhar para eles. Estes são os poderes, e isso significa que nenhum pecador fraco, mortal, pode compreender a serenidade e a beleza do poder de Deus ou alcançar uma semelhança com ele, pois o poder de Deus é infalível;

6 A respeito da aparência dos principados e seu significado

Os do terceiro têm a aparência de mármore branco e cabeças como cabeças humanas, sobre as quais ardem tochas, e dos ombros para baixo eles estão rodeados por uma nuvem cinza-escura. Estes são os principados, e eles mostram que aqueles que, por um dom de Deus, são governantes dos povos neste mundo, devem revestir a verdadeira força da justiça, a fim de que não caiam na fraqueza da instabilidade. Eles deveriam contemplar a Cabeça deles, que é Cristo, o Filho de Deus, e dirigir o governo deles de acordo com sua vontade em relação às necessidades humanas, e buscar a graça do Espírito Santo no ardor da verdade, a fim de que, até o fim deles, possam continuar firmes e inabaláveis na força da equidade;

7 A respeito da aparência das dominações e seu significado

Os que pertencem ao quarto têm formas como formas humanas e pés como pés humanos, e usam capacetes em suas cabeças, e túnicas de mármore. Estes são as dominações; eles mostram que aquele que é o Senhor de todos elevou o entendimento humano que jazera poluído no pó da humanidade, da terra para o céu, quando ele enviou à terra seu Filho, e seu Filho, em sua justiça, calcou aos pés o antigo sedutor; e desse modo, os fiéis deveriam imitar fielmente aquele que é a Cabeça deles, colocando sua esperança no céu e fortalecendo a si mesmos com o vigoroso desejo de boas obras;

8 A respeito da aparência dos tronos e seu significado

E aqueles do quinto nada têm de humano em sua aparência, e emitem um brilho vermelho como a aurora. Estes são os tronos, mostrando que quando, pela salvação humana, o Unigênito de Deus, aquele que não foi infectado pelo pecado humano, revestiu o corpo humano, a divindade inclinou-se para a humanidade; de fato, ele, sendo concebido pelo Espírito Santo na aurora, o que quer dizer na Bem-aventurada Virgem, recebeu carne sem nenhuma mancha de impureza de qualquer espécie. E não se vê nenhuma forma neles, pois há muitos mistérios dos segredos celestiais que a fragilidade humana não pode compreender. Mas esses exércitos estão também dispostos como uma coroa ao redor de dois outros. Isso significa que os fiéis que direcionam os cinco sentidos de seu corpo para as coisas celestiais, sabendo que eles foram redimidos através das cinco chagas do Filho de Deus, alcançam-nas, com muito trabalho e atividade de suas mentes, porque eles ignoram o prazer do coração e colocam sua esperança nas coisas interiores, para amar a Deus e ao próximo;

9 A respeito da aparência dos querubins e seu significado

Portanto, os do primeiro destes outros exércitos parecem estar cheios de olhos e de asas, e em cada olho aparece um espelho, e em cada espelho uma forma humana, e eles levantam suas asas a uma altura celestial. Estes são os querubins, que significam o conhecimento de Deus, pelo qual eles veem os mistérios dos segredos celestiais e realizam seus desejos de acordo com a vontade de Deus. Desse modo, possuindo, na profundez de seu conhecimento, a mais pura claridade, eles preveem miraculosamente todos aqueles que conhecem o verdadeiro Deus e direcionam os desejos de seus corações, como asas sobre as quais se elevam de maneira nobre e justa até aquele que está acima de todos; e, em vez de ambicionar o que é transitório, amam o que é eterno, tal como o demonstram mediante a elevação espiritual de seus desejos;

10 A respeito da aparência dos serafins e seu significado

E os do segundo exército ardem como fogo, e têm muitas asas, nas quais mostram como que em um espelho todas as hierarquias da Igreja dispostas em ordem. Estes são os serafins, e isso significa que, assim como eles ardem do amor de Deus e têm o mais intenso desejo de contemplá-lo, eles também, por seus desejos, mostram, como cintilante pureza, as hierarquias, tanto seculares quanto espirituais, que florescem nos mistérios da Igreja, pois os segredos de Deus se mostram admiravelmente neles. Portanto, todos os que, amando a sinceridade com coração puro, buscam a vida eterna, deveriam amar Deus ardentemente e abraçá-lo com toda a sua vontade, de modo que possam alcançar as alegrias daqueles que imitam fielmente. Mas não se vê nenhuma forma nem nestes nem nos outros. Isso quer dizer que há muitos segredos dos espíritos bem-aventurados que não devem ser mostrados a humanos, pois, enquanto estes são mortais, não podem discernir perfeitamente as coisas que são eternas;

11 Todos os exércitos cantam os milagres que Deus realiza nas almas bem-aventuradas

E todos estes exércitos estão cantando com vozes maravilhosas todos os tipos de música acerca das maravilhas que Deus opera nas almas bem-aventuradas e, mediante isso, Deus é magnificamente glorificado. De fato, os espíritos bem-aventurados, no poder de Deus, tornam conhecidos os lugares celestiais, mediante indescritíveis sons, a alegria deles nas obras maravilhosas que Deus perfaz em seus santos, mediante o que estes últimos gloriosamente engrandecem a Deus, buscando-o na profundidade da santidade e regozijando-se na alegria da salvação; como atesta meu servo Davi, o contemplador dos segredos celestiais, quando diz:

12 O salmista a respeito deste assunto

Há gritos de júbilo e salvação nas tendas dos justos” (Sl 117,15). O que quer dizer: o canto de felicidade e de alegria daqueles que calcam aos pés a carne e elevam o espírito é conhecido, com infalível salvação, nas moradas daqueles que rejeitam a injustiça e realizam as obras da justiça; eles poderiam fazer o mal pela tentação do diabo, mas pela inspiração divina, eles fazem o bem. O que isso significa? O ser humano com frequência tem inapropriado júbilo ao cometer um pecado inapropriadamente desejado; mas naquela condição, ele não tem salvação, pois ele foi de encontro ao mandamento divino. Aquele, porém, que corajosamente faz o bem que deseja ardentemente, dançará na verdadeira exultação da alegria da salvação, pois, mesmo no corpo, ele, no entanto, ama a mansão daqueles que correm pelo caminho da verdade e evitam jazer no erro. Por conseguinte, quem quer que tenha o conhecimento no Espírito Santo e asas da fé, não ignore minha admoestação, mas deguste-a, abrace-a e receba-a em sua alma."

Fonte: SCIVIAS - Conhece os Caminhos do Senhor

IMG_0757

IMG_0279