Apresento aqui diversos ícones de Santa Hildegarda de Bingen para vocês conhecerem. Eles diferem pouca coisa um do outro, o que é perfeitamente compreensível tratando-se de ícones e não apenas de simples imagens da santa. 

O ícone, (do grego εικόνα eikona - "imagem") é uma representação dos personagens santos dentro da tradição cristã. O ícone possuí um sentido teológico profundo que o diferencia de outras imagens de santos e santas que estamos habituados à ver. Na verdade, o ícone é a presença santa.

Os ícones não devem ser considerados pinturas e sim, escrituras!

Os iconógrafos, escritores e não «pintores» dos ícones são as pessoas que o realizam, geralmente, em oração e mantendo uma grande atenção à sua respiração durante o trabalho iconográfico. Porém, os iconógrafos não são considerados artistas (embora isso seja discutível) pois respeitam padrões rígidos para a realização de um ícone enquanto o artista é livre em sua criação. Contudo, alguns ícones são verdadeiras obras de arte como acontece com o ícone "A Santíssima Trindade" do russo Andreï Roublev.

IMG_5158Como foi dito logo acima, o ícone deve respeitar regras muito definidas na representação de um santo ou santa ou de uma cena bíblica. Isso acontece para que possamos reconhecer aquele(a) que está sendo retratado e compreender melhor a sua mensagem. Por essa razão, na iconografia de Hildegarda de Bingen, a santa é apresentada com seu hábito de beneditina e com uma pluma na mão. Há outras variantes (como vocês poderão ver nas imagens abaixo) onde Hildegarda vê a luz do Espírito Santo ou possui um livro ou pergaminho em suas mãos (uma alusão ao SCIVIAS). Em outros ícones, por ter sido compositora, Hildegarda de Bingen é representada com uma partitura em suas mãos. Ela também pode segurar alguma planta ou frasco de essências que representam todo o conhecimento fitoterápico, alimentício e medicinal que Hildegarda nos legou. 

Finalmente, é importante lembrar que para a realização de um ícone, é necessário o conhecimento preciso para fazê-lo: a técnica e a atitude de "presença diante do divino." 

Os ícones que apresento aqui não foram escritos por mim. Eu os encontrei navegando pela net. Na maioria dos casos - diferentes das pinturas - os ícones não são assinados, o que dificulta dar os créditos respectivos às obras apresentadas aqui. Caso você reconheça um de seus ícones aqui, basta entrar em contato comigo e darei os créditos respectivos.

IMG_5132

IMG_5148

IMG_5137

IMG_5138

IMG_5151

IMG_5135

IMG_5136

IMG_5140

IMG_5143

IMG_5144

IMG_5147

IMG_5149

IMG_5150

IMG_5152

IMG_5153

IMG_5134

IMG_9775

IMG_9785

IMG_9791

IMG_9795

IMG_9792

IMG_5141

No caso do ícone acima, ele está num estilo mais moderno, assim como o material que foi usado. A tradição do ícone pede que os materiais utilizados para sua confecção sejam os pigmentos naturais, a gema do ovo e o verniz - olifa - também natural. Algumas pessoas não consideram os ícones que sejam feitos com outros materiais como "ícones verdadeiros". 

Eu percebo que os ocidentais permetem-se muitas "liberdades" com os ícones, tanto na técnica, na escolha das cores utilizadas quanto na iconografia apresentada. Você dificilmente verá isso acontecer com os ícones orientais, principalmente os ortodoxos.

Na França, o "savoir-faire" do ícone, ou seja, o conhecimento e a maneira como ele é realizado tradicionalmente são reconhecidos como Patrimônio Imaterial (e por essa razão, um ícone feito de outra maneira poderá não ser reconhecido como tal). Claro, há diferenças entre um ícone copta de um ícone etíope assim como há diferenças de um ícone grego para um ícone russo mas todos respeitam a maneira tradicional de realizá-lo.

Na tradição, o iconógrafo (diferente do artista) não assina a obra pois ele é apenas instrumento do Espírito Santo.

A Teologia do Ícone indíca que os ícones de santos, santas e da Virgem Maria podem ser venerados mas jamais adorados.

Embora os ícones sejam de tradição oriental (principalmente Ortodoxa e Bizantina), é possível encontrar cada vez mais ícones nas igrejas católicas ocidentais, assim como as representações de seus santos e santas - como é o caso de Hildegarda de Bingen.

Dedico este artigo à minha irmã Sandra que hoje festeja seu aniversário. Que a imagem do Cristo a acompanhe por toda a sua vida. Amém.

IMG_5126

IMG_0279